Mercado de máquinas e implementos agrícolas pode crescer até 8% este ano, diz especialista

 Empresários que vão expor durante a Tecnoshow estão otimistas com vendas e negociações. Evento ocorre entre os dias 9 e 13 de abril. 

Com mercado aquecido pelas boas safras de milho e soja, a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abrimaq) prevê um crescimento de 5% a 8% no faturamento do ramo para este ano. O presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas da entidade, Pedro Estevão Bastos de Oliveira, afirma que essa expectativa pode ser vista durante a Tecnoshow Comigo 2018, que acontece entre o próximos dias 9 e 13 de abril , em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. 

“Estamos otimistas com o setor. Estamos tendo a segunda melhor safra da história, perdendo só para o ano passado. Em 2017, tinha crescido faturamento em 7% no faturamento e continuamos crescendo este ano. As feiras espelham um pouco essa realidade porque são uma amostragem do que está acontecendo no mercado. Então, pode manter a previsão de rentabilidade nesse patamar”, explicou. 

O especialista avalia que o agronegócio como um todo tem impulsionado a economia, já que cresceu 13% em 2017, número que ele considera significativo. Segundo ele, o mercado vem se recuperando desde a crise de 2015, e a retomada da rentabilidade se dá ao aumento de exportações e investimentos em tecnologia pelos produtores. 

“Nosso pico de vendas foi em 2013, com R$ 15 bilhões. Por causa da confusão na política, caíram para R$ 11 bilhões no ano seguinte. Ano passado foram R$ 13 bilhões em vendas, então, estamos vendo uma recuperação do setor. As máquinas dos últimos cinco anos já têm muita tecnologia embarcada. Com isso, o agricultor começa a ganhar mais na precisão e colhe dados para a gestão do negócio”, avaliou. 

As principais produções que geram renda para a indústria de máquinas no campo são as safras de milho e soja. Pedro esclarece que o produtor brasileiro está conseguindo bons preços no mercado de exportação no início deste ano porque houve uma seca na Argentina, competidores no ramo, levando ao aumento da rentabilidade. 

Boas expectativas

O otimismo para as vendas e negociações também está presente entre as empresas que participam como expositoras na Tecnoshow Comigo deste ano. Representante da empresa Indora Máquinas Agrícoloas em Goiás, Renato Lopes Benedete afirmou que espera dobrar o volume de vendas durante a feira deste ano. 

“Estamos com ótimas expectativas, bem mais animados que no ano anterior. O clima está ajudando e devemos ter uma excelente safrinha. Nossa expectativa é dobrar o volume de vendas, mas o mais importante na feira é poder mostrar o produto para o maior número de pessoas possível”, afirmou. 

O gerente regional da empresa Jacto, Armando Maran, também declarou que a empresa está com expectativas positivas para as negociações deste ano durante a feira. Segundo ele, as boas produções de grãos alimentam esse otimismo no mercado. 

“Esperamos vender mais porque as commodities estão com bons preços, a safra produziu bem, o próprio produtor está animado. Os indicadores são bons, como o clima e até a disponibilidade de recursos para financiamentos. Esses pontos todos nos fazem acreditar que teremos uma performance melhor que a do ano passado”, concluiu. 

Fonte: G1 
Seção: Máquinas & Equipamentos 
Publicação: 09/04/2018