Nível de atividade na construção retoma recuperação em junho

O nível de atividade na indústria da construção retomou a tendência de recuperação no mês de junho após o forte recuo causado pela greve dos caminhoneiros no mês anterior. 

Medido pela Sondagem Indústria da Construção, realizada mensalmente pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o indicador de atividade subiu 2,3 pontos, alcançando 46,7 pontos em junho. Comparando com o mesmo período do ano passado, o índice teve alta de 3,9 pontos. Valores abaixo dos 50 pontos indicam queda no nível de atividade.

Segundo a CNI, “o resultado reflete a retomada do setor após a normalização do transporte rodoviário de cargas. O retorno, ainda que gradual, do fluxo de insumos e produtos viabilizou a melhora da atividade”. 

Em tendência oposta, o indicador de emprego caiu 0,9 ponto, chegando a 43,4 pontos em junho deste ano. Abaixo da linha de 50 pontos, esse índice indica queda na geração de empregos no setor.

O nível de uso da capacidade operacional registrou 57% em junho, subindo 2 pontos percentuais na comparação com maio. Sendo assim, a pesquisa mostra que a indústria da construção operou com 43% das máquinas, equipamento e pessoal parados no mês antecedente.

A Sondagem aponta também que os principais problemas enfrentados pela indústria da construção no segundo trimestre do ano foram: elevada carga tributária (33,7% das respostas), demanda interna insuficiente (32% das respostas), falta de capital de giro (27% das menções), burocracia excessiva (21,6 % das respostas) e inadimplência dos clientes (21,2% das respostas. 

Realizada entre 2 e 12 de julho, a pesquisa contou com a participação de 549 empresas do setor, sendo 195 pequenas, 242 são médias e 112 de grande porte. 

Para conferir o levantamento completo acesse a página da Sondagem Indústria da Construção.

Fonte: AECWeb 
Seção: Construção Civil 
Publicação: 06/08/2018